Tu

Tu cresceste em mim, amei-te desde que soube que existias e ainda eras, apenas, uma semente. Imaginei como seriam os teus olhos, como seria o teu cabelo, como seriam as tuas mãos, como seria o teu rosto, o teu sorriso. Pensei numa família feliz e completa, como acreditei que seria a nossa. Falhei, falhámos. Tropecei no passado, deixei-me levar pelas más intenções e pelas motivações de outros.

Há uma verdade absoluta, amo-te muito, filho. E esse amor é inabalável, não muda só porque alguém assim quer, não muda só porque nos zangamos. Não muda.

 

M.

Amores

O amor deveria ser simples. Sempre, a qualquer hora, todos os dias. Deveria ser constante e pleno. Mas não é e, por mais estranho que parece, há amores que nem valem a pena nem o esforço.

Para mim, só valerá a pena quando não me fizer sofrer, quando só tiver o coração completo de felicidade.

 

M.

Saudosismo

Ontem, a passear por uma rua de Lisboa, observei durante algum tempo uma mãe a brincar com o seu filho. Lembrei-me imediatamente do meu filho e as saudades atravessaram o meu coração como se fossem uma flecha.

Vontade de te ver e de conversar contigo. A nossa relação está muito longe de ser a convencional entre mãe e filho, mas quero que saibas que te amo e que te trago sempre no coração.

 

M.