Cláudia

A vida traz-nos e leva-nos pessoas. Desta feita, a Cláudia foi-se embora. Não sei muito bem quais os motivos, depreendo que estejam relacionados com o marido e com a vida pessoal. Tenho a desejar-lhe tudo de bom e desejo, sinceramente, que consiga recuperar a sua vida.

Um beijinho para ti, Cláudia.

 

Marlene

Sinceridade

A sinceridade acima de tudo e de todos, até de nós próprios. Por vezes, ultrapassamos os nossos limites quando tratamos mal os outros. Há quem fique com problemas de consciência e há quem enfrente tudo com normalidade.

A questão que lanço é: porque é que não ultrapassamos os nossos limites para tratar bem quem nos rodeia?

 

M.

Rumores

Os rumores podem dar cabo de muitas relações. Não tenho por hábito falar sobre a vida das outras pessoas, mas também não gosto de injustiças. Interfiro quando penso que o devo fazer, quando me parece que excedem os limites.

O caminho pacífico é o melhor de todos.

 

M.

Ajudar

Ao longo dos anos dediquei-me a causas de ajuda e solidariedade. Gosto de participar, de auxiliar, de acompanhar, de partilhar. Fico feliz por poder ajudar os outros. A verdade é que tive muito de coisas muito diferentes nos últimos anos e, agora, tenho uma vida mais recatada, pacata e com menos. No entanto, sou feliz e continuo a colaborar com as associações às quais tenho dedicado o meu esforço e o meu tempo.

Tudo será mais fácil se nos ajudarmos.

 

M.

Pessoas

Há pessoas que nos tiram do sério. Basta um olhar e já nos deixam de pelos eriçados e de nervoso miudinho. Nós também temos a capacidade de provocar esta mesma sensação nos outros, só que nem nos apercebemos. É bastante incomodativo.

Hoje foi um desses momentos, em que fiquei de coração acelerado de tão irritada que estava. Normalmente, o que faço é respirar fundo, sorrir e manter a minha postura.

M.